Gestos divulga sondagem sobre a Parada da Diversidade e distribuirá preservativos 17ª edição do evento

14/09/2018 - Redação Gestos

A Gestos estará presente na 17ª Parada da Diversidade, que acontece no próximo domingo na Praia de Boa Viagem, distribuindo preservativos masculinos e femininos na concentração do evento, no Parque Dona Lindu. A partir das 9h, ativistas da ONG estarão na concentração do evento distribuindo camisinhas e também informações sobre prevenção ao HIV/Aids e outras ISTs.

“Qual a sua plataforma?” é o tema da Parada da Diversidade de 2018 – organizada pelo Fórum LGBT de Pernambuco, do qual a Gestos – Soropositividade, Comunicação e Gênero faz parte. Realizada desde 2002, a Parada da Diversidade de Pernambuco é uma ato político de luta do movimento LGBTTI em defesa dos direitos, a partir da qual a visibilidade é encarada como fortalecimento de ações no enfrentamento da LGBTfobia e da promoção da livre expressão da sexualidade. A saída dos trios elétricos está prevista para 12h30.

Sondagem com participantes da Parada da Diversidade

A Gestos lançou esta semana um documento com os resultados da sondagem realizada no evento de 2017, alertando para a importância da prevenção no combate ao HIV/Aids e demais ISTs. O levantamento, que entrevistou 1 mil pessoas em 2017, apontou para dados preocupantes em relação à violência e o preconceito sofridos pela população LGBT. “O preconceito e a violência que os jovens gays e outros HSH, as travestis e pessoas transexuais sofrem, aumentam sua vulnerabilidade ao HIV”, diz o documento lançado pela Gestos. O documento aponta que 67% dos entrevistados pela sondagem realizada pela ONG já sofreram preconceito (67%). Do total, 30% afirmaram ter sofrido violência – percentual que consideramos elevado. Segundo a idade, os/as jovens de 18 a 29 anos foram os/as que mais sofreram preconceito.

“A sociedade civil e especialmente a luta dos/as ativistas LGBTI+ no Brasil e no mundo produziram respostas para o enfrentamento da epidemia da AIDS que nos afeta desde os anos de 1980. Hoje, apesar de tantas conquistas efetuadas por essa população, percebemos seus direitos ameaçados por um contexto absolutamente conservador. Impactando inclusive sobre espaços educativos que deveriam produzir conhecimentos junto aos jovens, mas que na verdade têm sido utilizados para negar a identidade dessa população. Para nós, o cenário da infecção pelo HIV hoje tem muita relação com o cerceamento nas discussões sobre sexualidade e afirmação das identidades das pessoas LGBTI+”, diz o documento da Gestos.

Após apresentar o resultado da sondagem, a Gestos propõe algumas recomendações para ajudar no enfrentamento do HIV/Aids e das demais Infecções Sexualmente Transmissíveis. A sondagem e o documento apresentado pela Gestos fazem parte do Projeto “Da Parada da Diversidade às Políticas Públicas: ação protagonista de gays e outros HSH, travestis e transexuais para superar a AIDS”, desenvolvido pela Gestos e financiado pelo Departamento de IST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, através do Edital Público de ações nas Paradas de 2017.