Home > Comunicação > Notícias

40 ativistas de PE se reúnem na formação “Direitos da População LGBTI+”

40 ativistas de PE se reúnem na formação “Direitos da População LGBTI+”

Teve início, nesta quarta-feira (6) a formação sobre Direitos da População LGBTI+: Conhecer para Exercer, que tem por objetivo fortalecer a ação de 40 ativistas LGBTQIA+ residentes no estado de Pernambuco e produzir instrumentos educativos que fortaleçam o ativismo na luta por direitos. As aulas seguirão até junho de 2022, com dois encontros mensais. Ao final do curso, serão elaboradas 4 cartilhas informativas (sobre Direito ao Trabalho, Direito Civil, Direito à Saúde e Enfrentamento à LGBTfobia) que serão entregues às casas parlamentares municipais. 

Promovida pela Gestos com o apoio da Embaixada do Reino dos Países Baixos e em parceria do Fórum LGBT de PE, do Conselho Estadual de Promoção dos Direitos da População LGBT e da Rede LGBT do Interior de Pernambuco, a formação será facilitada pelo professor Rhemo Guedes e pelas professoras Laura Kerstenetzky, Manuela Alves, Ivanilda Figueiredo – nomes de referência no campo dos direitos humanos e do Movimento LGBTQIA+. 

Leia também:

Campanha “Abrace a Gestos com apenas R$ 10,00” pode salvar os serviços da ONG

LEGALIZA! Mulheres realizam ato simbólico pelo direito ao aborto no Brasil

Sociedade Civil entrega 40 recomendações  em Comunicação sobre HIV e Covid-19 ao MS

“A gente não pode acreditar que um pedaço de papel cheio de letra resolve o nosso problema”, comentou a convidada desta aula inaugural, a ativista Symmy Larrat – presidenta da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos (ABGLT) – ao lembrar que o Brasil é o país onde mais se mata pessoas LGBTQIA+ no mundo e que não possuímos legislações específicas voltadas para essa população (apesar de estarmos cercados por 12 países que já as possuem). 

“Precisamos fazer um giro de atuação política para fazer com que essas conquistas tenham validade na vida real dessas pessoas”, continua a ativista, destacando a necessidade de atuação local de maneira a assegurar que o acesso aos serviços e direitos sejam garantidos e consolidados em todas as localidades, bem como a atuação junto aos órgãos e instituições jurídicas competentes. “É fundamental trazer isso para as formações e capacitações; esse beabá de cada coisa, entender pelo que cada parte desta é responsável para a gente cobrar; a gente precisa ir atrás e cobrar”, enfatiza.

Com quatro módulos, o curso abordará diferentes noções do Direito. Por ser realizada online, a formação pôde superar a distância geográfica e unir ativistas de todos os cantos de Pernambuco, de Recife a Petrolina. Horizontalizando o acesso à informação e descentralizando os processos de qualificação de ativistas entre a sociedade civil.

Denuncie

Se você tem HIV/Aids e encontra dificuldades para acessar os serviços de saúde; se sofre discriminação; se faltam medicamentos na sua cidade; ou se o seu benefício for ameaçado, entre em contato com a gente. Seu anonimato está garantido.