Dia Mundial de Luta contra a Aids conversando com a comunidade no Recife

02/12/2019 - Redação Gestos

O Parque da Macaxeira, na Zona Norte do Recife, foi transformado neste domingo (1º de dezembro) num grande espaço de debate e interação sobre o HIV e a Aids. Neste Dia Mundial de Luta Contra a Aids, doze entidades e coletivos da sociedade civil realizaram diversas atividades no local para chamar a atenção para a situação do HIV/Aids no Brasil e no mundo, levando informação para a população de forma lúdica e interativa.

No “Bora conversar sobre Aids” aconteceram oficinas e rodas de diálogo, distribuição de insumos de prevenção, materiais informativos e laços vermelhos de solidariedade (para lembrar todas as pessoas infectadas pelo HIV), música, varal informativo, intervenção artística de grafiteiros e conversas sobre direitos sexuais e direitos reprodutivos com as pessoas que frequentam o Parque da Macaxeira.

As 12 instituições organizadoras levaram informações sobre prevenção combinada ao HIV/Aids, sobre PreP (Profilaxia Pré-Exposição) e PEP (Profilaxia Pré-Exposição), sobre como o HIV é transmitido e foram dispostas a desmistificar alguns mitos sobre o vírus. Tudo para alertar que a Aids tem tratamento, mas não tem cura; e que a prevenção é o melhor caminho.

Participaram da iniciativa a Gestos – Soropositividade, Comunicação e Gênero, o Coletivo Mangueiras, a Casa Menina-Mulher, o Adolescer, o Ser Coletivo, a RNP+ Pernambuco, o Instituto Papai, o Movimento das Cidadãs Posithivas, o Samaritanos, a Bigu Comunicativismo, a Articulação Aids em Pernambuco e a Aids Healthcare Foundation (AHF).

Qual é a situação do HIV/Aids hoje em dia?
Segundo dados do UNAIDS, atualmente, 37,9 milhões de pessoas vivem com HIV em todo o mundo; das quais 23,3 milhões têm acesso à terapia com antirretrovirais. Todos os anos, estima-se que haja 1,7 milhão de novas infecções pelo vírus. Desde o início da epidemia, na década de 1980, 74,9 milhões de pessoas já foram infectadas pelo HIV e 32 milhões morreram em decorrência de doenças relacionadas à Aids. Aproximadamente 8 milhões de pessoas no mundo não sabem que vivem com o vírus do HIV.

O Brasil registrou 926.742 casos de HIV/Aids entre 1980 e 2019. Em média, 40 mil novos casos foram diagnosticados nos últimos cinco anos. Desse total, 78% da pessoas estão em tratamento para o HIV e 93% das pessoas que se encontram em tratamento no Brasil estão indetectáveis.

Num contexto de restrição de direitos e redução de recursos para a área da Saúde no Brasil, chama a atenção o aumento no número de casos de HIV/Aids entre jovens, que tem se espalhado de forma silenciosa, especialmente por falta de prevenção. Desde o ano de 2010, o número de novos caos entre os jovens aumentou 21%. Em 10 anos, os casos de HIV mais que dobraram na faixa entre 20 e 24 anos no Brasil.

Entre os fatores que contribuem para este aumento estão o estigma relacionado ao HIV/Aids, a falta de informação da população, a dificuldade de conversar com a juventude sobre questões de direitos sexuais e reprodutivos, a ausência de campanhas eficientes, que dialoguem com as pessoas, respeitando suas diferenças.