Unaids e Gestos iniciam cursos de formação do Índice de Estigma de Pessoas Vivendo com HIV

27/11/2018 - Redação Gestos

Começou nesta quarta-feira (27/11) o primeiro curso de formação para entrevistadores do projeto “Índice de Estigma de Pessoas Vivendo com HIV (Stigma Index)) no Brasil”. O treinamento será realizado em sete capitais brasileiras. Além do Recife, acontecerão também em Brasília, Manaus, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. A seleção foi exclusiva para pessoas vivendo com HIV. Ao todo, 56 pessoas foram selecionadas para realizar o treinamento.

O Stigma Index é uma ferramenta para detectar e medir a mudança de tendências em relação ao estigma e à discriminação relacionada ao HIV, a partir da perspectiva das pessoas vivendo com HIV. Iniciado em 2005, o Stigma Index é uma iniciativa conjunta da Rede Global de Pessoas Vivendo com HIV/AIDS (GNP+); Comunidade Internacional de Mulheres Vivendo com HIV/AIDS (ICW); Federação Internacional de Planejamento Familiar (IPPF); e UNAIDS.

“A metodologia já foi aplicada em 100 países, com 230 pessoas treinadas e 100 mil pessoas entrevistadas. A intenção é aumentar o entendimento sobre como o estigma e a discriminação impactam na vida das pessoas”, explica Georgiana Braga, diretora do Unaids no Brasil. O projeto seguirá até abril de 2019 e abordará também questões sobre o estigma sofrido pelas pessoas vivendo com HIV no serviço de saúde.

A pesquisa é aplicada de forma transversal, com a aplicação do questionário entre pessoas vivendo com HIV/AIDS. O objetivo principal é descrever o grau e as formas de estigma e a discriminação em diferentes cidades do Brasil. O índice também tem o objetivo de comparar a situação de pessoas vivendo com HIV com a realidade de outras localidades e países e possibilitar demandas de mudanças de políticas e programas com um alcance mais amplo.